sábado, 26 de março de 2011

TRANSTORNO DE PERSONALIDADE - BORDERLINE

Transtorno de Personalidade Borderline. Seqüelas de abuso na infância.


Borderline é um transtorno de personalidade que traz sérias conseqüências para a pessoa, seus familiares e seus amigos próximos. O termo "fronteiriço" se refere ao limite entre um estado normal e um quase psicótico, assim como às instabilidades de humor.



Não é muito freqüente. Nos USA se considera 2% da população, (mas cuidado, geralmente as estatísticas lá são exageradas). Muito mais freqüente em mulheres do que em homens (por isso a página é escrita no feminino).



1) Sintomas (claro que nem todas as Borderline tem todos estes sintomas):



· Medo de abandono: uma necessidade constante, agoniante de nunca se sentirem sozinhas, rejeitadas e sem apoio.


· Dificuldade de administrar emoções


· Impulsividade.


· Instabilidade de humor. As oscilações de humor do DAB ou TAB - Distúrbio ou Transtorno Afetivo Bipolar duram semanas ou meses, mas as Borderline têm oscilações de minutos, horas, dias. Essas oscilações de humor incluem depressões, ataques de ansiedade, irritabilidade, ciúme patológico, hetero- e auto-agressividade. Uma paciente marca a consulta informando que está super deprimida, querendo morrer. No dia seguinte chega à consulta bem humorada, bem vestida, maquiada, vaidosa.


· Comportamento auto-destrutivo (se machucar, se cortar, se queimar). As portadoras de Borderline dizem que se machucam para satisfazer uma necessidade irresistível de sentir dor. Ou porque a dor no corpo "é melhor que a dor na alma".


· Tentativas de suicídio, mais freqüentemente as de impulso do que as planejadas.


· Mudanças de planos profissionais, de círculos de amizade.


· Problemas de auto-estima. Borderlines se sentem desvalorizadas, incompreendidas, vazias. Não tem uma visão muito objetiva de si mesmos.


· Muito impulsivas: idealizam pessoas recém conhecidas, se apaixonam e desapaixonam de maneira fulminante. Desenvolvem admiração e desencanto por alguém muito rapidamente. Criam situações idealizadas sem que o parceiro objeto do afeto muitas vezes nem tenha idéia de que o relacionamento era tão profundo assim...


· Alta sensibilidade a qualquer sensação de rejeição. Pequenas rejeições provocam grandes tempestades emocionais. Uma pequena viagem de negócios do namorado ou marido pode desencadear uma tempestade emocional completamente desproporcional (acusações de rejeição, de abandono, de não se preocupar com as necessidades dela, de egoísmo, traição, etc.).


· A mistura de idealização por alguém e a extrema sensibilidade às pequenas rejeições que fazem parte de qualquer relacionamento são a receita ideal para relacionamentos conturbados e instáveis, para rompimentos e estabelecimento imediato de novos relacionamentos com as mesmas idealizações.


· Menos freqüente: episódios psicóticos (se sentirem observadas, perseguidas, assediadas, comentadas).



2) Risco aumentado para:



· Compras Compulsivas.


· Sexo de risco.


· Comer Compulsivo, Bulimia, Anorexia.


· Depressão.


· Distúrbios de Ansiedade.


· Abuso de substâncias.


· Transtorno Afetivo Bipolar.


· Outros Transtornos de Personalidade.


· Violência (não só sexual), abusos e abandono, por causa da impulsividade e da falta de crítica para escolher novos parceiros.



3) A causa provável é uma combinação de:



· Vivências traumáticas (reais ou imaginadas) na infância, por exemplo abuso psicológico, sexual, negligência, terror psicológico ou físico, separação dos pais, orfandade.


· Vulnerabilidade individual.


· Stress ambiental que desencadeia o aparecimento do comportamento Borderline.



Cuidado com conclusões precipitadas do tipo "você foi abusada" ou "você foi aterrorizada".



4) Evolução:



· Geralmente começa a se manifestar no final da adolescência e início da vida adulta.


· Com o passar dos anos existe uma diminuição do número de internações hospitalares e de tentativas de suicídio.


· Parece piada de mau gosto, mas é uma realidade estatística: a cada tentativa de suicídio que a Borderline sobrevive, diminui a chance de uma nova tentativa.



5) Fatores de bom prognóstico:



· Bons relacionamentos familiares, sociais, afetivos, profissionais.


· Participação em atividades comunitárias: igrejas, clubes, associações culturais, artísticas, etc.


· Baixa ou ausente freqüência de auto-agressão.


· Baixa ou ausente freqüência de tentativas de suicídio.


· Ser casada.


· Ter filhos.


· Não ser promíscua.



6) Tratamento.



· A integração de tratamentos medicamentosos mais psicoterápico trouxe grandes progressos no tratamento do Transtorno Borderline.



Medicação:


· O tratamento medicamentoso inclui Estabilizadores de Humor (mesmo que não se trate de DAB) pois eles ajudam a conter a impulsividade e as oscilações de humor.


· Antidepressivos e Tranqüilizantes não tem a mesma eficácia que teriam em casos de depressões ou ansiedades "puras" mas certamente tem sua utilidade em Borderline.



· Embora a medicação seja muito importante, ela é ator coadjuvante. O ator principal no tratamento é a Psicoterapia.



Psicoterapia:


· Não é uma terapia fácil. O que acontece "na vida real" acontece dentro do consultório: instabilidade, alternância de amor e ódio, idealização e desapontamento com o terapeuta, sedução, impulsividade, etc.



· Isso quer dizer o seguinte: o tratamento exige paciência, persistência, disciplina e muito boa vontade.



· Pacientes gratos hoje podem se mostrar ingratos amanhã.



O papel da igreja:



· Identificar a situação, se é físico, psicológico ou espiritual.


· Apresentar o amor de Cristo e o plano de Salvação.


· Detectando as características acima descritas começar a acompanhar de perto, procurar tratar da alma, e levar a pessoa a liberar perdão para todos os que supostamente a agrediram.


· Arrumar atividades que ocupem os pensamentos e que criem sensações de auto-capacidade.


· Apresentar irmãos que compreendam que a pessoa precisa de ajuda, que precisa ser amada.


· Não se deixar abater quando problemas aparecerem, (somos servos e fazemos por Deus e para Deus).


· Incentivar o tempo todo a não desistir.


· A luta será constante, mas com o Senhor no controle e a ajuda de pessoas da fé, a vitória é certa.

21 comentários:

  1. Sei que quando falamos daquilo que é pertinente ao psicológico, nada é simples ou tem uma resposta "sim e não", mas neste caso, existe, de fato, cura? Ou, como em outros casos já publicados no blog, a questão é um tratamento pelo resto da vida?

    ResponderExcluir
  2. Neste caso como em muitos outros, tudo vai depender do livre arbítrio da pessoa.Ela é quem vai decidir como quer viver, como quer encarar a vida. Nunca será facil, lutas internas ocorrerão todos os dias (isso acontece até com quem teve todos os dias de sua vida sem problema nenhum),mas depender de Deus é a melhor opção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é muito fácil pensar em colocar deus em tudo queria ver vc passa por isso sentir na pele ver as pessoas que diziam serem seus amigos e ate família se afastarem e por fim se encontra só e muito fácil fala quando nao sentimos na pele e fácil opina de fora eu passo por isso a 3 anos e sei que cada dia e uma batalha

      Excluir
    2. Eu convivo com essa situação dentro da família, é realmente desgastante para quem vive essa situação e tb para os que convivem porque a única coisa que queremos é ver a pessoa bem e feliz. Quando eu disse sobre o livre arbítrio... falo sobre escolher procurar ajuda profissional... por ser um transtorno de personalidade é necessário se descobrir e mudar a forma de pensar sobre as coisas... Quanto a Deus está acima de tudo sim...porque certamente esse amor enorme que Ele colocou em seu coração tem um propósito, basta aprender a lidar com isso. Hoje posso falar com certeza que tem cura,

      Excluir
  3. Esse Blog é otimo!
    Esta me ajudando muito com um trabalho escolar!
    Valeu!

    ResponderExcluir
  4. Eu to chorando agora, nunca encontrei nada que descrevesse tudo aquilo que vivo, desdea a minha infancia.Sempre fui chamada de mentirosa, egoista e já fui até levada para a sessão descarrego, sempre me menti rejeitada, e passaei por muitas dificuldades na infancia também, vou procurar ainda hoje marcar um psquiatra e tratar disso. Tenho fé que estarei dando meu depoimento em breve de cura porque eu quero muito mudar e pelo que entendi a primeira pessoas que tem que se ajudar sou eu mesma.

    ResponderExcluir
  5. Nossa como esse blog está me ajudando e especialmente esse ultimo postagem sobre a sindrome de bordaline tudo que está escrito é o que estou passando.Já estou fazendo tratamento e está fazendo muito bem pra mim.Estou me valorizando mais,estou conseguindo conviver com pessoas que não conseguia conviver,estou conseguindo perdoar pessoas que nunca eu tinha perdoado e isso está fazendo muito bem pra mim.
    No começo quando mandaram eu largar minha vida e me mudar para outro lugar e fazer tratamento eu não gostei muito mais agora eu estou vendo que foi bom,eu estou vendo que sou muito amada pela minha familia e pelos meus amigos.Sinto falta dos amigos mais eu sei que agente não vai se deixar de se falar.
    Morar com minha familia está me fazendo bem.
    Eu dou graças a Deus primeiramente e tb a varias pessoas que me deram conselhos para eu mudar e me cuidar.Eu vou mudar já estou vendo mudança e tudo isso que eu passei e estou passando lá a frente eu darei meu testeminho de cura para outras pessoas e sei que vou poder ajudar outras pessoas que estão passando por tudo isso que passei.

    ResponderExcluir
  6. Recebi esse diagnostico a 4 meses e não sabia o que era, mas tenho todas essas caracteristicas, vou me esforçar para melhorar.
    Ja sou evangelico e vou buscar mais a Deus e agora com uma direção. Obrigado.

    ResponderExcluir
  7. isso é muito dificil, so quem tem pra saber. que ninguem nunca julgue ninguem

    ResponderExcluir
  8. Tenho uma filha de 31 anos, casada, tem um filhinho de 5 anos e desde a adolescencia apresenta problemas muito sérios,principalmente mentiras, invenções, compulsão por comprar, entre outros. Foi diagnosticada agora com TB. Passou num concurso ´público pois tem o cognitivo preservado, mas com a dimninuição dos medicamentos apresentou oscilações no quadro e se complicou no trabalho. Está aguardando processo administrativo. Estamos perdidos entre o fato de que possa repetir tais comportamentos, pois não mede as consequencias do que faz. Faz terapia e está tratando ccom remédios. porém a psiquiatra diz que para ter sucesso ela precisa sinalizar quando perceber que está oscilando. às vezes acho que será impossível que ela trabalhe, assumindo responsabilidades... o que seria melhor para ela tentar uma aposentadoria por invalidez pois não para em serviço algum ou dar essa chance a ela permitindo que tente novamente caso o júrico decida mante-la em outra função.... por favor nos ajude.... obrigada

    ResponderExcluir
  9. Você disse que tem uma filha de 31 anos, com TB, mas para eu saber mais teria que fazer uma boa análize do caso, preciso saber como foi a infancia, como ela realiza as funções maternas, como ela é dentro de casa... porque ela deve sofrer muito com tudo isso e precisa encontrar uma maneira de sair dessa situação. Quanto a aposentadoria, isso não seria ruim desde que ela arrume uma ocupação nem que seja para trabalhar de voluntária em algum projeto pois ficar desocupada não seria nada bom. Ela precisa sentir-se útil, amada e capaz. Caso queria conversar comigo pode agendar um horário enre em contato pelo meu e-mail jo_z_sanches@hotmail.com
    estarei a sua disposição. Desde ja estaremos orando por ela.

    ResponderExcluir
  10. suas explicações são ótimas! pena q pouca gente nos entenda e participe ..tenho 48 anos , há +- 25 diziam q eu tinha genio forte! , há 18 anos venho fazendo terapias escondidas e há 14 anos , depois de 2 tentativas de suicidio e 2 internações psiquiatricas , encontrei uma psiquiatra maravilhosa , q depois de muita luta consegui um ajuste medicamentoso e q eu aderice ao tratamento e descobri-se oq é auto-estima..porem é um sobe e desce eterno de medicações..varias crises..só há 5 anos ela me deu solenemente o diagnostico...não muda mt coisa ! só q estou de novo colocando meu trabalho a perder..acredite, jo sanches , sou médica! e uma excelente médica qdo estou bem..no momento não consigo sair de casa , faço uns panicos , nao vejo sentido em ir trabalhar , estou irritada com meus pacientes e com as chefias..fico bem , se ficar quietinha em casa , cozinhando , lavando , durmo muito pelos remédios e viro muitas noites acordada...meu casamento esta por 1 fio , mesmo ele sabendo , me entende pouco , me julga e me cobra sorrisos....num era o caso de eu me aposentar? tenho medo de fazer mal pra alguem , saio na rua como se estivesse sendo perseguida , acho q td mundo esta falando mal de mim!...poxa , obrigado! acho q foi a primeira vez q consegui falar com alguem ! , sou catolica , as vzs num consigo vestir a roupa pra ir namissa , e meu marido fica triste , pq sabe q volto um pouco mais animada , mas se tivesse alguem pra me carregar! não aguento mais fazer coisas horríveis contra mim, tentar suicidio , gritar como uma louca dentro de casa e meu marido ficar fazendo papel de pastel..acho q ninguem fala comigo no predio pq acha q vou morder!bgd de me ouvir!!!!o senhor o abençoe!!!

    ResponderExcluir
  11. Olá minha amiga anonima, médica, mulher abençoada... Sei que é dificil tudo que esta passando, mas a vida vale a pena ser vivida.
    ha alguns anos atras nem se conhecia esse problema, como vc mesma disse era genio forte... mas hoje em dia tem tratamento, mas a pessoa mais indicada pra trazer a cura, é você mesma, será uma luta constante, muitas vezes um verdadeiro tormento, mas precisa se apegar em Deus, porque Ele pode mudar a sua historia.
    Gostaria de falar mais vezes com você, entre em contato comigo pelo e-mail jo_z_sanches@hotmail.com, vamos juntas clamar ao Senhor pela sua cura.

    ResponderExcluir
  12. ola querido amigo!, me fez bem saber q fui ouvida!, minhas forças estão no final...pedi ao vizinho pra trazer pão pra mim , fui trabalhar e esqueci oq estava fazendo na rua...fora a ansiedade pq num conseguia pagar uma conta ...me segurar pra naum ser "geniosa" com as pessoas....me chame de clara...escreverei um email com calma , mas estou mt mal hj , amanhã tenho consulta , sei q pelo menos alguma licença a psiquiatra vai me dar ...tenho pena das pessoas q sofrem disso e naum se dão conta , não conseguem um lugar pra se tratar ...eu mesma , qdo comecei a me tratar , tava tão desestruturada financeiramente q o unico caminho foi o serviço público e dou sorte de ser mt bem atendida , já basta a grana q gasto com os remédios e qdo preciso pagar pessoas pra fazerem algumas tarefas comigo pq fico transtornada só de pensar de sair ..e minhas irmãs acham q é falta de "tanque"...meu marido não , apesar de não entender mt , sempre q pode me acompanha...qdo estou bem ..nossa , sou dinamica , destemida , cheia de iniciativa...mas , nas crises...ore por mim, apesar de termos religiões diferentes somos acima de td cristãos e devemosbuscar um mundo melhor na fé no SENHOR. obrigado por ter respondido e pela iniciativa desse blog!!!!!

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde

    Achei esse site http://www.wingsaseaglesministries.org/bpd.html

    em ingles, fala sobre a cura ou libertação para o boderline. Interessante, é a visão cristã a respeito. Vale a pena ler!

    ResponderExcluir
  14. Olá, me chamo Bruna.
    Desde 2010 fui diagnósticada várias vezes erroneamente com Transtorno Bipolar.
    Neste ano de 2012 encontrei um psiquiatra maravilhoso, e uma psicologa ótima.
    Ele me diagnosticou com Transtorno de Personalidade Bouderline.

    Estou na luta meu irmão, não é fácil, mas com Jesus o difícil se desfaz, e se torna suportável!

    Meu conselho pra quem tem quaisquer tipos de transtornos emocionais e psicologicos:

    - Medicação
    - Terapia toda semana
    - Não seja promiscua, se converta
    - Tenha um ótimo convivio com familia e amigos
    - Perdoe
    - Tenha suas próprias terapias, eu uso: Compor musicas, desenhar, pintar, cantar, fazer carinho em animais de extimação, rir com crianças, etc....
    - E se renda aos pés de Jesus, pq Ele levou sobre si as nossas dores e enfermidades na cruz do Calvário.

    Vc é mais que vencedor, isso é temporário, breve Jesus vem nos buscar.
    Não deixe que essas doenças te paralisem, cumpra o propósito para o qual Jesus te criou, você sabe qual é, se não sabe, busque ao Senhor, que Ele vai te revelar!

    ---->Isaias 45<----

    A graça e a paz esteja com vosco.

    Por: Bruna B. Portadora de Transtorno de Persolidade, com oscilações em: converssivo e bipolar.

    Se vc precisar de uma amiga para trocar experiencias, meu e-mail:

    bruna_kitty5@hotmail.com

    :D

    ResponderExcluir
  15. Olá,tenho uma duvida sobre o transtorno..
    Eu fui diagnosticada borderline e de uns tempos para cá,venho sentindo um medo absurdo de estar em meio a pessoas desconhecidas e a lugares cheios,nem ao psiquiatra estou conseguindo ir para conversar sobre isso.. Tenho dificuldades para procurar emprego,e li que dá para aposentar ou ter auxilio doença..mas,eu não entendi bem e gostaria de saber se no meu caso,eu conseguiria isso...Obrigada!

    ResponderExcluir
  16. Nina, deveria falar sobre isso com seu psiquiatra, ele irá te encaminhar para outro médico que fará uma avaliação, vc ficará afastada e dependendo o tempo creio que poderá aposentar-se.
    Normalmente esse transtorno não vem de uma hora pra outra, fique atenta se não esta tendo uma sindrome do panico, pois são bem parecidas, Um abraço.

    ResponderExcluir
  17. EM 10 ANOS EM PSIQUIÁTRIA TIVE VÁRIOS DIAGNÓSTICO, LÓGICO QUE A DOENÇA NÃO SE INICIOU Á 10 ANOS, HOJE COM MAIOR ENTENDIMENTO DO ASSUNTO VEJO QUE SEMPRE ESTEVE EM MIM, DESDE A MINHA INFANCIA. HOJE O ÚNICO LUGAR QUE CONSIGO FREQUENTAR COM MAIS CONSTANCIA É A IGREJA, MAS POR CRIAR PROBLEMAS ONDE EU VOU, MIGRO DE UMA PARA A OUTRA. A ÚNICA IGREJA QUE NÃO ME EXPELE É A UNIVERSAL, MAS É CLARO QUE JÁ ACONTECERAM EPISÓDIOS TERRÍVEIS COMIGO LÁ, NUM DOS SURTOS QUE TIVE DENTRO DA IGREJA, CORTEI MEUS PULSOS DENTRO DA IGREJA E AINDA CORTEI OS BOMBEIROS. FOI HORRÍVEL. FORAM HORAS DE NEGOCICAÇÃO, EU COM UM VIDRO ENORME NA MÃO. ELES ME SURPREENDERAM POR TRÁS E ME DOMINARAM, NÃO ME LEMBRO DE TUDO O QUE ACONTECEU. NA VERDADE Á IGREJA ACREDITA SER ESPIRITUAL, DEMONIO. O QUE CONFUNDE MAIS AINDA A MINHA CABEÇA. MAS DE UMA COISA SEI ME FAZ UM BEM ENORME IR Á IGREJA. MAS É MUITO DIFÍCIL POIS PASSO MUITO MAL, POR SER UMA IGREJA LOTADA, VOU UM DIA E FICO UMA SEMANA TRANCADA EM CASA. QUERIA MUITO Á CURA, MAS ÁS VEZES ME PEGO CONFORMADA. AS MEDICAÇÕES EU TENHO DEIXADO DE TOMAR PELA FÉ, MAS OS MÉDICOS NÃO SABEM. NÃO MELHOREI E NEM PIOREI. AS CRISES VÃO E VEM E OS SURTOS ESTÃO BEM ESPAÇADOS, QUANDO VEJO QUE NÃO ESTOU BEM, ME ISOLO, PRA NÃO CRIAR PROBLEMAS, SOBRE AS ALUCINAÇÕES, MANIA DE PERSEGUIÇÃO, ETC... CONVERSO COM MINHA MENTE E NÃO ME DEIXO DOMINAR.

    ResponderExcluir
  18. Após anos e anos e questionando sobre o porque disso, porque daquilo, finalmente encontrei profissionais, que não encontraram uma cura, mas que conseguiram de certa forma me dar um apoio, por que acredito que não tenha cura, mas existe sim uma melhora significativa na qualidade de vida, foda-se o que os outros pensam sobre você, faça o que for melhor pra voce, você que pode decidir, e ninguem tem o direito de te julgar, ja fui muito julgado, ja sofri abuso, bullyng na infancia, ficaram as cicatrizes, muitas vezes o ódio mortal por ter passado por isso ou aquilo, se você é Border eu te respeito, se você não é eu te respeito também, mas se você não conhecem um borderline, não venha nos julgar, ninguém chegou a isso por que quer, como disse anteriormente tenho muito ÓDIO ainda pelo que eu passei, mas ja consigo conviber melhor com isso, mesmo tendo ferido outras pesssoas mesmo que de forma abstrata, me dói no fundo da alma.

    ResponderExcluir
  19. Minha filha de 14 anos foi diagnosticada a dois meses com Bordeline, começou com os medicamento e as terapias, graças a Deus adaptou bem aos medicamentos, porém sempre que vai a terapia chega com dor de cabeça e se isola, depois aos poucos vai socializando novamente. O que mais me doe é a maneira que ela trata as coisas da igreja e como ela se refere a Deus, sempre muito revoltada. Fico preocupada com o futuro dela, pois mesmo com medicação e terapia ela tem seus dias de crises... vida profissional, sentimental, social há possibilidades de ter uma vida tranquila?

    ResponderExcluir