domingo, 4 de dezembro de 2011

O CRENTE DEVE OU NÃO CELEBRAR O NATAL?

Essa é uma das polêmicas que surgem todos os anos nesta época. Alguns evangélicos questionam a veracidade sobre a data do nascimento de Jesus.

O verdadeiro sentido do Natal que é Cristo vivo em nosso coração tem sido desviado cada vez mais do seu sentido original. O que se vê hoje é uma festa mercantilista, rodeada por comidas e presentes. As igrejas evangélicas normalmente não comemoram esta data, uma vez que ela não faz parte dos ensinos bíblicos.

Nos dias atuais uma revelação nova tem vindo à Igreja do Senhor dentro da compreensão de que não podemos viver em cima de datas ou de eventos. A realidade do Natal é um momento carinhoso, precioso para a família, um momento de comunhão e de alegria. Entretanto é importante ressaltar que o Natal não foi algo que Jesus determinou para nós celebrarmos.

Ele mandou celebramos a morte dEle e não o Seu nascimento. Ao longo da história, a cristandade tem lembrado mais o nascimento do Senhor. Acontece que houve uma deturpação muito grande a respeito do Natal.

Natal hoje é nada mais do que uma festa onde a pessoa que deveria ser a primazia – Jesus – é a pessoa desconhecida. Natal hoje é roupa nova, comida, Papai Noel. Se analisarmos bem, veremos que o Natal se tornou uma festa secular, não uma festa espiritual.

Natal deve ser todos os dias. Assim como o dia dos pais, das mães e das crianças deve ser todos os dias. Natal não deve ser como uma data apenas. O Natal para nós tem de ser justamente a compreensão de que um dia Jesus nasceu! Deus veio até nós revelando o Seu amor, mas Ele não nos mandou celebrar o Natal. Ele nos mandou mostrar a vida. Muitas Igrejas estão começando a entender que o Natal não tem muita base bíblica assim como ele é comemorado. Para nós o fato maior é este: Jesus nasceu e morreu por nós, mas ressuscitou.

Uma criança, por exemplo, compreende que Natal é Papai Noel, é festa, árvore de Natal, luzes, comidas e muitos presentes. O Natal é uma das épocas nas quais as pessoas ficam mais deprimidas. Eu não vejo essa data como algo diabólico, pelo contrário, eu entendo que é melhor a pessoa celebrar o Natal do que celebrar a festa de Iemanjá. O que eu quero dizer é sobre o modo como as pessoas comemoram essa data, visto que ela não tem base bíblica.

A Igreja sempre celebrava a ressurreição de Jesus, sempre se unia na ressurreição do Senhor. Durante o decorrer da história houve uma paganização da fé cristã. A Igreja, genuinamente Igreja, deve começar a dar valor àquilo que realmente Jesus dá valor. Há muitas coisas que são colocadas na celebração do Natal que não tem nada a ver com o nascimento de Jesus.

Um costume é muito difícil de ser mudado. E as pessoas estão inseridas dentro de um contexto familiar também. O crente não é um “estraga prazer”. Muitas vezes a família tem esse costume e que não deve ser visto uma coisa pecaminosa. Nós temos que ver é o próprio coração de Deus, o que Ele se agrada e aquilo que Ele não se agrada. Não que seja pecado uma pessoa comer peru, dar presentes ou coisas assim, mas é importante relembrar que não deve ser um dia apenas, deve ser o normal da vida de cada pessoa essa situação.

A Palavra Natal é exatamente “natalício”, ou seja, comemorar o aniversário de alguém. Jesus disse assim: “Se me amais, guardareis os meus mandamentos.” Não podemos provar o nosso amor por Jesus apenas celebrando o Natal.

Em Isaías 53, verso 11 diz: “Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo justo justificará a muitos, e as iniqüidades deles levará sobre si.” O período natalino é um período também onde os corações estão mais sensíveis, mais abertos para ouvir a própria história de Jesus. Então a melhor maneira de um cristão celebrar ou participar ou aproveitar esse momento é exatamente falando de Jesus, evangelizando, elevando corações a conhecerem não o Natal de Jesus, mas o Jesus que nasceu, que ressuscitou, o Cristo vivo.

Nós falamos sobre o nascimento de Jesus, amamos a Jesus com todo o nosso coração, mas o grande erro é exatamente as pessoas se lembrarem dEle apenas em um dia e um dia dentro de uma conotação mais mercantilista do que realmente de uma ilustração de fé.

É tão interessante observar que no Natal, quando algum país está em guerra, faz-se uma trégua no Natal exatamente para lembrar que Jesus nasceu e um dos nomes do Senhor é “Príncipe da Paz”.

Não devemos fazer um culto de Natal, cheio de árvores de Natal, de velinhas, contudo olhamos com simpatia, não criticamos, não jogamos pedras naqueles que têm liberdade de celebrá-lo. Amamos as pessoas porque amamos a Jesus! Isso não significa que aqueles que não celebram o Natal sejam melhores do que aqueles que celebram, não é assim! Deus vê o nosso coração, Ele conhece a nossa vida e se alguém tem liberdade de celebrar o Natal dentro desse contexto, celebre. A pessoa que não tem liberdade, não celebre.

Mas o que deve existir?

Em todas as coisas têm de existir a compreensão, a fé e o amor, porque Natal não é época de briga. Natal, pelo fato do Senhor ter nascido, os anjos cantaram: “Glórias a Deus nas alturas e paz na terra”. Jesus veio exatamente para trazer paz.

Quantas pessoas hoje não estão pagando dívidas de Natal que fizeram há três anos? Virou um peso do que era para ser uma expressão de bênção. Deve haver em todos nós um coração simples, humilde e acima de tudo um coração cheio de amor.

Como no dia 25 de dezembro é feriado aqui no Brasil, devemos usá-lo para ensinar os irmãos a usarem esse dia para estarem em comunhão com a família, visitar os parentes, orar, abençoar e não simplesmente reduzir a fé cristã ao único dia.

Que Ele possa abençoar os seus corações e que os seus olhos estejam abertos para perceber mais e mais que o que vale na vida. Que a aventura mais gloriosa de existir seja exatamente seguir a Jesus e fazer Sua vontade. Caminhar sobre a luz dEle e sabendo que, quando Ele nasceu, Isaías já havia profetizado: “E o seu nome será: Maravilhoso , Conselheiro, Deus forte, Pais de Eternidade, Príncipe da Paz.”

Continue amando ao Senhor e Ele vai estar contemplando o seu coração. O melhor presente foi Deus quem nos Deu. Ele nos deu Jesus, o Seu filho, como o nosso Salvador! Amém.

2 comentários:

  1. Muito interessante seu artigo, porem gostaria que você estudasse e postasse mais um artigo que causa muita dúvida: Jesus realmente nasceu no dia 25 de dezembro? Muito obrigada.

    ResponderExcluir
  2. Olá Jo, sou leiga no assunto e gostaria de mais informações, pois tenho dúvidas a respeito da data de nascimento de Jesus. Por favor, poste algo a respeito do assunto... Muito Obrigada pela atenção

    ResponderExcluir