sábado, 18 de fevereiro de 2012

A INFLUENCIA DA BARBIE

A Boneca Barbie foi criada em 1958, pioneira na configuração de um modelo corporal que talvez seja o mais tirânico da história ocidental. Mesmo após tantos anos essa boneca continua sendo um ícone de padrão de beleza dos mais insistentes. Tendo habitado na infância de meninas do mundo inteiro por quase meio século, a Barbie tornou-se um verdadeiro clássico nas imposições das leis do corpo perfeito em nossa sociedade. Ela é a líder de venda entre todas as bonecas jamais criadas.

A historia da Barbie é muito eloqüente cujo corpo ousou imitar as formas de uma mulher adulta, enquanto os brinquedos mais tradicionais destinados as meninas sempre reproduziram a figura do bebê ou de uma criança. Apesar das convulsões iniciais, hoje sua imagem é considerada perfeitamente normal. Um modelo a ser reproduzido pelo publico infantil de várias gerações até a síndrome consumista do “complexo de Barbie”.

O maior problema em relação à Barbie é a influencia nos padrões estéticos, de beleza, comportamentais e consumistas. Há mais de 40 anos no mercado, ela vem determinando uma mudança de comportamento feminina. Em seu "mundo cor-de-rosa" ela apresenta uma ideologia que confronta os padrões bíblicos, ou seja, apresenta a mulher como o mundo quer que ela seja, e não como Deus se agrada.

Em contradição com os valores morais cristãos, que devem ser intrínsecos ao ser humano, a Barbie apresenta uma referencia de corpo, beleza e aparência ideal, porem externos e transitórios, que são absorvidos pelo seu público alvo principal: as crianças.

Os pais se mostram indiferentes a esta absorção, muitas vezes pela falta de tempo ou atenção, deixam suas filhas consumidoras a mercê destes padrões, só tomando consciência dessas influências por meio de conseqüências graves, como a anorexia e a bulimia, por exemplo.

Às vezes me questiono se estes brinquedos são um objeto de consumo ou um bem ideológico? Pois eles estimulam significativamente a capacidade representativa da imitação, de forma generalizada. Não é a toa que são vendidas 120 milhões de exemplares a cada ano, o que significa que três Barbies são vendidas por segundo, além de ser cotada como referencia por garotas do mundo todo. Mas a absorção deste produto vai além dos números, pois aparenta um caráter ideológico cuja mídia se encarrega de veicular. A imagem da Barbie passa a ser um modelo, através dos tempos, sem mesmo que as pessoas se dêem conta disto.

O poder de persuasão desta personagem está no fato de que contribuem para a formação do caráter da criança, que brincam de ser e se portar como ela: individualista, consumista, sem vinculo familiar, etc, etc... Características encontradas nas várias versões da boneca Barbie.

Não podemos afirmar que existem pactos satânicos na produção ou comercialização destas bonecas, mas uma influencia super negativa para nossas filhas, com certeza! Hoje nos encontramos em uma sociedade onde a beleza espiritual é o que menos importa, pois a beleza física é considerada solução para tudo.

Sem duvida a Barbie é um objeto de alienação, se levarmos em consideração o seu mundo de fantasia, uma realidade distorcida e utópica de um glamour cor de rosa. Então ela não educa, mas ilude, pois causa uma falsa sensação de status, em detrimento da formação do verdadeiro caráter moral, baseado em princípios idôneos.

"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as cousas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas.” - 1 Cor 6:12

Cabe ao cristão atentar, com diligência, para as coisas que a Bíblia nos exorta, para que em tempo algum nos desviemos da Palavra (Hb 2:1)

Convém ouvir as coisas de Deus, pois elas nos trazem santidade e a vida eterna. Convém a nós ouvir e fazer uma separação entre os padrões do mundo e os mandamentos de Deus.

Ministério Monte Sião

13 comentários:

  1. Minha filha tinha todas as bonecas e dvds da Barbie, nunca percebi nada de anormal no brinquedo, mas ela era maliciosa, gostava de mostrar o corpo, tocava em suas partes intimas com frequencia, até que você ministro a vida dela e revelou que os desenhos e brinquedos precisavam ser observados. Tiramos todas as bonecas e material da Barbie e minha filha hoje com 5 anos é uma criança normal. Esse brinquedo não estimula só a sensualidade, mas também a sexualidade.

    ResponderExcluir
  2. Regiane de Santa Catarina19 de fevereiro de 2012 08:10

    Eu peço que todas as mãe fiquem atentas porque tenho uma sobrinha de 13 anos a beira da morte porque sempre quis ser magra como suas bonecas Barbie, mas a estrutura de seu corpo não era nesse padrão, ela então começou a provocar o vomito para não engordar com o que comia, hoje ela vive a base de remédios pra se manter de pé, sempre fica internada e tudo começou na infância com um falso estímulo de beleza.

    ResponderExcluir
  3. Pra mim é um brinquedo como outro qualquer, minhas filhas tem várias, e não mudou em nada, acho que isso acontece porque algumas crianças ja são mal resolvidas de pequena, e outra coisa, o sexo deve ser explorado em sua totalidade, se essa boneca vai estimular que busquem a beleza, quero mais é que se espelhem nela mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Observei muitas coisas que estimulam a bruxaria e feitiçaria nos desenhos da Barbie, eles misturam magia com fantasia, mas somos de uma igreja conservadora e não permito mais esse tipo de material dentro de casa.

    ResponderExcluir
  5. tenho um casal e de uns tempos pra ca venho observando mudanças no comportamento dos dois, a menina esta cada dia deixando mais o lado criança pra traz e o menino imitando os trejeitos femininos da irmã, os dois adoram brincar com a Barbie, ela tem 3 e ele tem 5 anos.vou trocar os brinquedos imediatamente, nunca tinha pensado nessas coisas, mas realmente se a boneca é uma moça a criança vai querer ser uma moça também.

    ResponderExcluir
  6. quando eu era pequena tinha 2 bonecas, era cara e meus pais não podiam comprar, assim que comecei a trabalhar iniciei minha coleção e tenho TUDO da barbie, até meu quarto e rosa, tudo rosa, faço regime desde meus 14 anos e nem por isso acho que foi um simples brinquedo que me influenciou apenas não quero ser gorda e tenho esse direito

    ResponderExcluir
  7. eu tenho percebido o comportamento da minha filha, vou ficar mais atenta

    ResponderExcluir
  8. O grande problema dessas questões ideológicas e alienadoras é exatamente esse. Quem está prisioneiro da ideologia sempre pensa que a escolha é sua e que isso em nada influencia em sua vida. Talvez em algum momento a escolha tenha sido sua, mas acaba se tornando prisão, e do tipo que a pessoa acha natural, sim. Vivi influência dessa ditadura de beleza, sim, do estímulo desnecessário à sensualidade e sexualidade e, como alguém que viveu isso, vejo sim, cada um dos aspectos nocivos desse tipo de brinquedo. Nós adultos, temos várias opções mais saudáveis para dar às nossas crianças e podemos fazer escolha delas.

    ResponderExcluir
  9. Tanto é verdade que existe esse tipo de situação que quando vimos uma pessoa magra, bem arrumada ou até mesmo usando muita roupa rosa ou pink, sempre apelidamos de Barbie, então isso é ou não influencia do brinquedo?

    ResponderExcluir
  10. conhesso criansas que querem que a gente cheme elas de barbi porque acham isso bonito então só pode ser influença mesmo

    ResponderExcluir
  11. minha filha que tem 6 anos, ela é gordinha e começou a colocar o dedo na garganta pra vomitar o que cumia pra ficar magra como a barbi

    ResponderExcluir
  12. TODOS ESTÃO FALANDO SOBRE A BONECA E SOBRE O DESEJO QUE PROVOCA NAS CRIANÇAS DE SEREM MAGRAS, EU VOU ALÉM, TENHO OBSERVADO O NÚMERO DE OBJETOS COMO SANDÁLIAS, CAMISETAS, CORTINAS, QUEBRA-CABEÇA, DVD, ETC QUE SE APRESENTAM COM AS IMAGENS DA BARBIE, E SE OBSERVARMOS ATENTAMENTE TODAS AS MENINAS SONHAM EM TER TUDO DA BARBIE.
    CONSIDERO INTERESSANTE, OBSERVAR QUE ESTAS MESMAS CRIANÇAS NÃO QUEREM UMA CAMISETA COM O DESENHO DE UMA FIGURA BÍBLICA.
    SOU PROFESSORA DA ESCOLA PÚBLICA E PERCEBO QUE CADA DIA MAIS A IDOLATRIA AS COISAS DO MUNDO ESTÃO CONSUMINDO O TEMPO DE ORAÇÃO, DE BUSCA AO SENHOR. QUANDO PERGUNTAMOS PARA UMA CRIANÇA DE 10 ANOS SE ELAS REZAM, RESPONDEM QUE QUANDO CRESCEREM FARÃO ISSO, EU ME PERGUNTO E SE NÃO DER TEMPO?

    ResponderExcluir
  13. Meu nome é Amanda tenho 23 anos, sou de Curitiba.
    Encontrei seu blog pelo facebok e achei muito bacana todas as publicações, mas o que mais me emocionou foi esse artigo sobre a Barbie, porque eu fui vitima deste brinquedo supostamente inocente.
    Somos de uma família muito bem posicionada e tive tudo que vocês pensarem do melhor, inclusive toda coleção desta boneca.
    Quando eu completei 12 anos, me sentia gorda e feia, afinal até pouco tempo antes eu era chamada de Barbie por ser alta e magra, mas com a passagem da idade meu corpo foi tomando outro formato e tive uma depressão seguia de anorexia, quase cheguei a óbito devido a uma forte desidratação.
    Eu ai para o hospital, conseguia me recuperar, mas quando voltava pra casa começava tudo de novo, passei por isso mais de um ano.
    Um dia uma empregada evangélica entrou no meu quarto de me disse que era pra eu jogar aquela boneca porque ela é que estava fazendo mal pra mim.
    Dei risada e nem liguei, mas fiquei com aquilo na cabeça e depois de alguns dias comecei a perceber que minha depressão aumentava quando eu via o corpo das bonecas e seu namorado lindo e seu carro, e tantos acessórios e eu me sentindo gorda.
    Numa noite não conseguia dormir, então resolvi retirar todas as bonecas e acessórios do meu quarto,foi quando fui surpreendida por um demônio em forma de caveira que usava uma capa preta que segurava o meu braço para eu não joga-las fora, foi horrível, gritei, chorei, mas ninguém acreditou em mim, na época eu ja estava com 15 anos.
    No dia seguinte eu era o assunto da casa, todos rindo de mim, até que aquela empregada chegou, me chamou num canto e falou baixinho: "eu acredito em você, é o espírito de morte que estava tentando te matar e ele se escondia em sua coleção de bonecas", fiquei mais assustada ainda.
    Fui escondida de meus pais na igreja evangélica que ela ia e não demorou muito para eu cair no chão, foram meses de libertação.
    Hoje estou curada, liberta e minha família toda converteu-se e fé evangélica.
    Mas se me perguntarem se eu daria uma boneca dessas para minha filha eu simplesmente diria: JAMAIS!
    Pastora, meus parabéns pelos artigos escritos e selecionados, continue investindo nas famílias e nas crianças, que Deus te abençoe.

    ResponderExcluir